08 novembro 2007

Nem tudo o que reluz é ouro...

(...) há uns que são belos graças à sua beleza, enquanto outros parecem sê-lo quando se adornam. E o mesmo se passa com as coisas inanimadas: pois também entre estas há as que são verdadeiramente de prata ou de ouro e as que não são, mas parecem que o são pelo modo como as apercebemos, como, por exemplo, as coisas feitas de monóxido de chumbo ou de estanho, que parecem prata, e as coisas amarelas, que parecem ouro.
(Aristóteles, SE, 164b24)

3 comentários:

Funes, o memorioso disse...

Se estivermos a falar de beleza feminina, eu gosto mais das mulheres que parecem belas quando se adornam.

Xantipa disse...

Não prefere as que são verdadeiramente belas, mesmo sem adornos? Prefere as que parecem belas com os adornos, mas não o são sem eles? Ou será que prefere as belas que ainda ficam mais belas quando se adornam?
:)

Funes, o memorioso disse...

Isso a que chama de verdadeiramente belas não existe. É uma simples convenção. A beleza está nos olhos de quem vê.
Por exemplo eu sempre achei Marilyn Monroe uma mulher feia. E Cláudia Schiffer, não muito mais bonita.