13 maio 2008

palavras de enamorado

Envio-te um doce perfume, presente que ofereço ao perfume, não a ti.
Porque tu podes perfumar o próprio perfume.

Anónimo

(da antologia palatina, da edição de Albano Martins citada aqui)

5 comentários:

minucha disse...

Mudei, finalmente, para a minha verdadeira identidade, em post de ontem.
não fiques zangada, mas agora já te posso vir a conhecer


Beijinho
marta

carneiro disse...

Olá...

"isto" cheira a romance no ar...

Xantipa disse...

Querida Marta,

Como me posso zangar com uma notícia tão boa?
Havemos de marcar esse encontro para uma próxima ida minha à capital!
Beijinhos

Meu Carneiro,
Pelo menos, está cumprido o requisito dos 1700 mm...
;)
Beijinhos

Gi disse...

Hehehe
Bjs, e felicidades...

Joaquim disse...

Cada um lê a ANTOLOGIA PALATINA à sua maneira (e com a idade que tem...). Eu fiquei "apaixonado" por esta:
"As tuas rugas, Filina, valem mais do que a seiva de toda a juventude. E eu prefiro ter nas mãos os teus pomos de pontas caídas que o seio direito duma jovem na força da idade.
O teu fim de outono é superior à primavera de qualquer outra e o teu inverno mais quente que o seu estio."
de Paulo Silenciário
...como eu te compreendo Paulo!...
a juventude depressa passa, mas o AMOR fica para sempre, em qualquer circunstancia(!)...