14 maio 2008

Chove

Chove...

Mas isso que importa!
se estou aqui abrigado nesta porta
a ouvir a chuva que cai do céu
uma melodia de silêncio
que ninguém mais ouve
senão eu?

Chove...

Mas é do destino
de quem ama
ouvir um violino
até na lama.

(José Gomes Ferreira)

5 comentários:

prior do crato disse...

Ouvir um violino na lama? JAJAJA! Que mais virá a seguir? Um trombone na areia? Uma viola na pedra? Ah que ganda poeta!

Anónimo disse...

É lindo este poema. Faz gostar ainda mais de dias de chuva, da calma que representa...
Quem ama, ouve até sinfonias no tráfego caótico das horas de ponta.LOL...
É essa
a grande virtude de quem ama,
não só amar à chuva
como ouvir violinos na lama.

Ana Paula Coelho (meialuadesabao)

Xantipa disse...

:)
Pois é, Ana Paula!
Lololol

Vieira Calado disse...

Conheci pessoalmente este homem.
Quando saía do emprego, num cinema ao alto da Avª da Liberdade, até à Baixa, vinha sempre a fazer mentalmente um poema. Mesmo que chovesse...
Cumprimento desde Lagos

Anónimo disse...

Lindo.
Sandra