26 março 2008

Heraclito


Hoje estou numa de Heraclito.
Comprei recentemente a tradução de Alexandre Costa para a INCM (uma edição de Novembro de 2005 que me escapara) e tenho andado a fragmentar-me na leitura.

A conhecidíssima ideia heraclitiana de

«Não é possível entrar duas vezes no mesmo rio» (L)

aparece mais gira em

«Nos mesmos rios entramos e não entramos, somos e não somos» (XLIX)

ou ainda aqui:

«O mesmo é vivo e morto, acordado e adormecido, novo e velho: pois estes, modificando-se, são aqueles e, novamente, aqueles, modificando-se, são estes.» (XLII)

2 comentários:

Maria, Simplesmente disse...

Parecendo complicado é tão simples!
É "memo" assim!...
Bj
Maria

Anónimo disse...

Já agora acrescento, se me permite: novas águas banham aquele que nele (rio) entra pela segunda vez.
Foi de facto um filósofo de pensamento profundo.
Monteiro