02 janeiro 2008

O segundo dia do ano

O meu pai tinha coisas tão engraçadas!
Hoje era o dia em que me levava pela mão à estação de comboios para vermos passar o homem que tinha tantos olhos quantos dias tinha o ano...
E eu, de memória curta, lá ia, entusiasmada tentar ver essa proeza.
Mais tarde, acompanhei-o nessa aventura, levando os meu sobrinhos pela mão.
O meu pai tinha coisas tão engraçadas!

(publicado também na Taberna)

4 comentários:

Teresap disse...

A minha avó Carlota dizia-me: "Nina, fica atenta, que hoje há-de passar aí um homem que tem tantas orelhas como o ano tem de dias!" Eu ficava, incrédula, à beira da estrada a olhar os homens passar... era tão engraçado!
Até amanhã! Vai ser um jantar do caraças! Talvez apareça um homem com tantos olhos e orelhas como o ano tem de dias!

Dário Guerreiro disse...

A mim nunca nada disso me foi dito: dizeres que infelizmente não sobreviveram até à minha geração. Feliz de quem tem quem lhe leve a passear a lugares onde passarão homens com tantos olhos como o ano tem de dias.

Um bom ano, ou excelente, se bom for excelente.

André Benjamim disse...

olá. ainda que tão atrasado, venho agradecer os votos de feliz natal que me deixaste. e desejar que tenhas um bom, óptimo, ano de 2008. as minhas desculpas pelo meu atraso, mas estive uns dias sem vontade nenhuma de blogosfera. beijinho.

O Réprobo disse...

Se bem virmos as coisas, Querida Xantipa, por essa ordem de ideias, só não serão zarolhos os anos bissextos, pelo carácter par do número de olhos...
Muito bom ano e beijinho, também pela excelente evocação