24 setembro 2007

Contra-senso (2)

Ao fugir do inimigo, Fânio matou-se a si próprio.
Isto, pergunto eu, não é uma loucura: para não morrer, morrer?

Marcial, Epigramas, Livro II, 80.
Tradução de José Luís Brandão para as Edições 70, em 2000, com introdução e notas de Cristina de Sousa Pimentel.

3 comentários:

SOBE E DESCE disse...

Talvez não, mas eu sinto que é a cobardia que quase todos nós sentimos quando temos de ef«nfrentar certas situações que desconhecemos.
Há tanta gente que se suicida porque sabe que vai morrer, porque determinadas doenças apareceram!
Não sabemos nunca o sofrimento que o outro tem planeado para nós.
É complicado!...
Bj

Rui Luís Lima disse...

olá adriana!
será o medo sinónimo de covardia?
ou a partida em busca de um mundo melhor um sinal de coragem?
beijinhos
paula e rui lima

Miguel G Reis disse...

Que inimigo era esse?
Talvez nao fosse realmente seu inimigo... Bom, nao conheço os pormenores da historia.

beijo