20 dezembro 2007

multa de respeito


Comprei o Borda d'Água para 2008. Os textos da editora são indescritíveis.
Contudo, tem, no texto inicial, uma referência digna de nota:

Os anos bissextos foram cercados de mitos e tradições. No séc. XIII, na Escócia, em cada ano bissexto, eram as mulheres, e não como de costume os homens, que tinham o direito de escolher quem desejassem para marido; se o escolhido não estivesse de acordo com o casamento, era obrigado a pagar uma multa de respeito.

E mais nada!

10 comentários:

Filipe Tourais disse...

ilead.itrack.it

É irritante entrar num blog e ser bombardeado com janelas popup com spyware. Uma das mais frequentes tem o nome do título deste post “http://ilead.itrack.it”. Já andava há tempos para procurar o elemento html que está na origem dessa dor de cabeça para visitantes e autores de blogs. Não foi difícil descobrir que é o contador de visitas "webstats4u basic". Todos os bloggers que queiram resolver a questão de uma vez por todas, poderão remover o código html respectivo e substituir o seu contador por outro que apenas conte visitantes, sem afastá-los e sem lhes infectar o pc, que é o que o webstats cobra em troca pelo serviço que oferece.

Sugestões: Sitemeter, Extreme Tracking e ShinyStat.

Código de barras: blogs, ilead.itrack.it, popups, Spyware


Abraço

Rui Luís Lima disse...

olá adriana!
Feliz Natal e Bom Ano 2008 são os nossos votos sinceros com a continuação da divulgação do pensamento dos clássicos, porque precisamos de continuar a aprender, para não não deixar de pensar.
beijinhos
paula e rui lima

Gi disse...

E as raparigas, nos outros dias, quando recusavam os casamentos, também se safavam com uma multa?

goldluc disse...

...A discussão em torno da ideia de que são, normalmente, os homens que escolhem as esposas....huummm...dava pano para mangas.
Beijinhos!!!

Inpisa disse...

"Sócrates encontrou uma mulher de que realmente precisava – mas ele próprio não a teria procurado nunca, se a tivesse conhecido bastante; o heroísmo desse espírito livre não teria ido de qualquer forma tão longe. O fato é que Xantipa o impeliu sempre mais em sua missão pessoal, tornando-lhe a casa e o lar inabitáveis e inospitaleiros: ela ensinou a viver nas ruas e em toda parte onde se pudesse conversar e ficar na ociosidade e fez dele o maior dialético das ruas de Atenas; ele teve finalmente de se comparar com um cabresto que um deus havia colocado no belo cavalo Antenas para não deixá-lo jamais em paz".

Gi disse...

Protesto! Seria Xantipa que tornava a vida de Sócrates em casa insuportável, ou seria que ela achava insuportável que o marido passasse a vida na rua, em festas e a comer rapazinhos?

O Réprobo disse...

Já agora gostava de saber a opinião das Exegetas sobre a frase em que a Xantipa ( a original) era comparada à chuva miúda.
À nossa Xantipa venho retribuir os votos natalícios e dizer que deixei lá no Inferno uma prendinha para Helenistas.
Beijinhos, abraços e cumprimentos com a distribuição de Lei.

Terpsichore E. M. disse...

Feliz Natal para ti e família Xantipa!

Nilson Barcelli disse...

Devia ser divertido ver os homens a pagarem multas... mas não conhecia esse costume ma Escócia.

Um Feliz Natal e um óptimo 2008, para ti e para a tua família.
Beijinhos.

Anónimo disse...

Foi dito da primeira mulher de Sócrates, Xantipa, que fora de difícil temperamento. Ele também o era, ainda que mais humano. A Lâmpocles, filho deste primeiro matrimônio, ensinou a paciência e a submissão à mãe (Xenofonte, Ditos Admiráveis.
Esta Xantipa também é admiravel e de dificil temperamento ...No acompanhar...na frontalidade. Um Bom Natal e bom ano!
:)