26 junho 2007

Amigo

(foto daqui)

E posto que a amizade encerre muitos e muito grandes proveitos, aquele que mais sobressai acima de todos é o facto de ela fazer nascer a luz de uma boa esperança no futuro e não consentir que os ânimos caiam em desalento e prostração.

Com efeito, quem olha para um amigo verdadeiro vê nele, por assim dizer, uma imagem de si mesmo. É por isso que os amigos, ainda que ausentes, estão presentes; ainda que pobres, têm abundância; ainda que fracos, são fortes.

Cícero, A Amizade, INIC/CECUC, Coimbra, 1993. Tradução de Sebastião Tavares de Pinho.
Parabéns, Amigo!

1 comentário:

Rui disse...

Obrigado!!!!!
Hehehe ;-D

Palavras cheias de sentido!!!
Vai um brinde (venha a cervejola, ó taberneira!) à amizade!

Beijos grandes
Miguel
:)*****