05 junho 2008

A afinidade não cessa pela dissolução do casamento

(Brjullov - Retrato da Condessa Samoilova e da enteada Amazilia. Daqui.)

(...) assumir que não sou perfeita, mas que inda assim não há tanta coisa má.
Tem a ver com uma confiança que só aprendi com a Adriana, uma confiança que vem de dentro e que o interior pode brilhar.

Ouvir (ler, neste caso) estas palavras emocionou-me. Não têm preço. Já valeu a pena ser madrasta.

5 comentários:

carneiro disse...

Eu apoio, uma e outra, claro.

Xantipa disse...

Eu sei, amigo!
:)
Beijinhos

Oppugnatore disse...

Como sempre te disse, os astros tem luz própria...

arribro disse...

todos temos aprendido contigo

christos disse...

o «inda» então, que pérola.