20 junho 2008

nobreza

Por nobre entendo aquele cujas virtudes são inerentes a uma estirpe;
por
de nobre carácter entendo aquele que não perde as suas qualidades naturais.
Ora, a maior parte das vezes, não é isso que acontece com os nobres, pelo contrário, muitos deles são de vil carácter.
Nas gerações humanas há uma espécie de colheita, tal como nos produtos da terra e, algumas vezes, se a linhagem é boa, nascem durante algum tempo homens extraordinários, depois vem a decadência.
As famílias de boa estirpe degeneram em caracteres tresloucados (...); as que são dotadas de um carácter firme degeneram em estupidez e indolência.


Aristóteles, Retórica, 1390b (Livro II, 15)

6 comentários:

Anónimo disse...

Concordo plenamente com este grande senhor. Infelizmente, Homens Extraordinários que os há, há, mas ainda não vi assim muitos. No entanto,não podemos perder a esperança de que algum dia irá surgir uma colheita boa de Homens Nobres e de Nobre carácter.
Um beijinho
Ana Paula

Xantipa disse...

Querida Ana Paula,
Às vezes também tenho essa esperança. Outras não...
Beijinho!

carneiro disse...

Assim de repente até pensei que te estavas a referir a alguém conhecido..ehehe...

Méon disse...

Estes textos, com séculos de vida, têm um imenso sabor a sabedoria perene...

Percebo o seu amor pelos clássicos!

Xantipa disse...

Carneiro amigo,
Nem por isso, nem por isso... ou talvez...

Caro Méon,
Mais de dois mil anos...
E estou sempre a aprender com eles!
:)

Deusa Odoyá disse...

Oi minha nova e estimada amiga Adriana Freire.
Não podemos perder a esperança de nada em nossas caminhadas pela vida.
Vivemos aprendendo e nos evoluindo.
Beijos de mil estrelinhas para vc. Bom fim de semana .
Belo rexto.

Te aguardo no meu cantinho.