24 julho 2008

Escolha

O que é preferível?

Estar presa, em pouco espaço, mas ter quem esteja connosco

ou
livre, com espaço, mas sozinha?



Não sei o que a minha Natacha preferirá nos próximos 3 dias: que a leve para outro lugar, onde vai estar acorrentada, ou que a deixe aqui no quintal e ter alguém que a venha alimentar, mas que não lhe fará muita companhia.
Aceito conselhos de mais sabedores de como tratar um cão.

9 comentários:

Gi disse...

Mas porque tem ela de estar acorrentada?
E não a podes mesmo levar contigo?

Teresa Nesler disse...

Definitivamente (pela experiência adquirida ao longo dos anos, e já lá vão uns 20 com cães) aconselho a que fique no seu ambiente, e que alguém a vá alimentar e dar-lhe miminhos, durante a sua ausência Adriana. Acorrentada (o que é um terrível hábito português) nunca!

sinédoque disse...

A ausência da dona vai sentir sempre, mas eu deixava-a no espaço dela com a certeza de que não seria esquecida.

Davi Reis disse...

Do que ela vai sentir a falta é da dona...

Xantipa disse...

Obrigada a todos!
É o primeiro cão que tenho e, por tal, a minha experiência é mínima.

Desta vez reuniram-se uma série de condições e a Natacha vai poder ir comigo. Vamos ver como decorre a viagem...
:)

Gi disse...

Fico muito contente. Ela foi abandonada há tão pouco tempo! Qualquer das outras hipóteses iria causar-lhe muito stress.
Bom fim de semana para ambas, e um bj.

leonor disse...

Ainda bem que vai consigo mas, pelo que sei, é sempre melhor ficarem no seu ambiente. Aqui na rua ficamos a tomar conta dos animais uns dos outros nas férias. Cães e gatos estão familiarizados com todos os vizinhos e torna-se mais fácil. Esta semana fiquei/ficámos a tomar conta dum cão e ele tem andado muito divertido. Vamos lá duas vezes por dia, fazemos-lhe umas festarolas carinhosas e muito abundantes e comidinha e água limpa sempre. Acho que até estou com pena que os meus vizinhos voltem.
Boas férias :-)

Artur R Gonçalves disse...

A melhor solução é encontrares alguém que a alimente ou que a leve para um espaço diferente, mas em que se sinta acompanhada. É assim que procedo com a minha Missye há cerca de seis anos. Infelizmente, é muito ciumenta e não suportaria um rival a ocupar-lhe os espaços.

RESSACA disse...

Quem conhece a sua ignorância revela a mais profunda sapiência. Quem ignora a sua ignorância vive na mais profunda ilusão.