15 julho 2008

Que inveja!

O meu dia de hoje pertence-me, ninguém me roubou um bocadinho que fosse: todo ele foi dividido entre o leito e a leitura.

Séneca, Cartas a Lucílio, 83.3. A referência do costume.

3 comentários:

Anónimo disse...

É mesmo, mas que inveja. Eu, nos dias de folga acho que é quando mais trabalho. A leitura é só um pouco à noite.
Quanto ao leito, acho um desperdicio de tempo, durmo o necessário e mesmo assim o tempo nunca chega.LOL.
Um beijinho
Ana Paula

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Como escreve o Domenico Masi, "o homem que trabalha perde tempo precioso".
Envolveram-nos nessa teia de trabalho, compromissos, reuniões só para nos obrigar a não ter tempo para pensar. A Internet foi a cereja no topo do bolo. Tornámo-nos apenas espectadores, esquecendo que o nosso lugar é em cima do palco e não na plateia

Xantipa disse...

Cara Ana Paula,
O leito não é a cama para dormir, mas o sítio onde Séneca se recostava para meditar (diz-nos o tradutor). Contudo, todos nós sabemos como é meditar recostados num sofá.... meditamos melhor de olhos fechados, não é verdade?
;)
Beijinho

Caro Carlos,
Tem muita razão. E quando não era isso era outra coisa (pão e circo, por exemplo), para que o povo não pensasse muito.
Abraço