05 julho 2008

fast food romana - à falta da ASAE...


O modo habitual dos romanos comuns obterem carne era através da compra de comida pré-cozinhada, de baixa qualidade e a baixo preço, a vendedores de rua ou em tascas e estalagens: artigos tais como morcela, paio ou salsichas.
Aparentemente os imperadores não apreciavam esta indústria de «refeições rápidas». Colocaram as estalagens sob vigilância e por vezes perseguiram-nas. Deram origem a medidas regulando a venda de carne cozinhada, de pastéis e inclusivamente (durante um período de luto público) de água quente.
Com que estavam os imperadores preocupados? O traço de puritanismo que vinha à superfície de tempos a tempos durante o período republicano teimava em persistir. As tascas estavam associadas aos jogos de azar, alguns dos quais eram proibidos, e à permissividade sexual, contra a qual os imperadores também legislaram. As inclinações classistas também podem ter sido um factor em jogo. Notamos igualmente que as estalagens eram o paradeiro ocasional de aristocratas renegados. Não é necessário acreditarmos que os imperadores estivessem preocupados com os riscos sanitários ocasionados pela carne contaminada.

Peter Garnsey, Alimentação e Sociedade na Antiguidade Clássica, Ed. Replicação, Sintra, 2002, pp.123-124

5 comentários:

Sandra disse...

Olá Xantipa,
deixo-lhe o meu irmão para talvez inspirar o seu Domingo.
Abraço e até breve.
http://www.youtube.com/watch?v=1DpY9Eq52dk

Méon disse...

Deliciosos estes pormenores do quotidiano. Parecem nossos contemporâneos...
Bj

Texto-Al disse...

que bons os seus blogs, adriana;)

tem de se juntar a nos no texto-al um dia destes;)

Tiago

O Réprobo disse...

Querida Xantipa,
os imperadores também legislaram contra a permissividade sexual?
Ai, que vertente "avant la lettre" para certo conceito de Frei Tomás!
Beijinho

Octávio disse...

eu cá não sou muito entendido no assunto, mas os romanos até eram uns tipos mais ou menos organizados.

pelo menos já se preocupavam com o fast food (mas eles sabiam que um dia iria nascer o belo do MacDonalds).

era capaz de apostar que essas internvenções quase divinas dos Imperadores seriam em parte com a intenção de controlar algumas fugas de impostos (que o dinheiro dava jeito) para evitar a propagação de algumas doenças...

meras hipoteses...