07 outubro 2008

se a A está com B e B está com C, A está com C

Durante a minha estada de seis meses em Cornell, em 2000, partilhei um apartamento com uma francesa que ainda hoje é minha amiga. Trabalhava em modelação molecular e de vez em quando lá ia ela, pela neve, ao laboratório, mesmo ao fim-de-semana, voir sa molecule bouger. Como agora trabalha no Instituto Pasteur de Paris, sinto-me, através dela, perto dos premiados com o Nobel da medicina.


8 comentários:

carneiro disse...

E este H está contigo...

Xantipa disse...

Estás, pois, querido H. E estás mais perto dos premiados, porque conheceste a minha amiga. Não te lembras? Estivemos aí no teu escritório.
:)
Beijinhos

Maria, Simplesmente disse...

Xantipa!... Deve ser fascinante conhecer essa "GENTE"!
Felicidades
Bj
Maria

Gi disse...

Isso faz-me lembrar o conceito fascinante de six degrees of separation.

Xantipa disse...

Pois é, Maria, e o simples é que são como nós...
;)

Também me lembrei disso, Gi!
:)

Méon, disse...

Diz-me com quem andas...

Admiro a tua capacidade de estar perto de tanta gente interessante...

Teresap disse...

Como estou perto de ti... também me sinto perto dela (que, por acaso, conheço!). Como é bom ter-te como amiga! Fantástico!

Funes, o memorioso disse...

Se A lembra a B x e B lembra a C y, então é A que lembra a C y.
Sou o C.
Xantipa lembrou a Gi six degrees of separation. Gi lembrou-me "A busca de Almotassim", de Jorge Luís Borges.